Editoras brasileiras apresentam sua produção infantojuvenil ao mundo na Feira de Bolonha

Editoras brasileiras apresentam sua produção infantojuvenil ao mundo na Feira de Bolonha

Editoras brasileiras apresentam sua produção infantojuvenil ao mundo na Feira de Bolonha

A produção brasileira de livros infantojuvenis tem apresentado crescimento nos últimos anos e as editoras que apostam neste segmento estão bastante otimistas. E é com este mesmo entusiasmo com o mercado local, que as editoras vão à Feira Internacional do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha (Itália), que irá acontecer de 24 a 27/03. Esta feira é um dos eventos mais importantes para os profissionais do mercado editorial. Em 2013, foram 1.200 expositores, provenientes de 75 países.

Com o slogan “um País cheio de vozes”, o Brasil é o convidado de honra desta edição da Feira de Bolonha, cuja presença nacional na Itália está sendo organizada pela iniciativa: Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Cultura/ Fundação Biblioteca Nacional, Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, Câmara Brasileira do Livro, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, Instituto C&A, SESC São Paulo e Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. A participação das editoras brasileiras em Bolonha está a cargo do Brazilian Publishers (BP), projeto realizado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). Estarão no estande coletivo do país, com 160 m2, 39 editoras associadas ao BP e demais associadas da CBL.

E, para marcar ainda mais a presença do país na Feira, será organizada uma exposição denominada “Brasil: Incontáveis Linhas, incontáveis histórias”, com a participação de 55 autores e ilustradores. Para obter mais informações sobre esta exposição acesse o link do site oficial da Feira de Bolonha: http://www.bookfair.bolognafiere.it/mostra-degli-illustratori/brasile/1876.html “Com esta homenagem ao país, a expectativa das editoras com a Feira de Bolonha é grande, pois nossa produção editorial estará cada vez mais em evidência”, explica Karine Pansa, presidente da CBL. “O Brasil passa, de país apenas comprador de direitos autorais, para também vendedor de conteúdo ao exterior. Portanto, este é o momento de aproveitar tudo o que um evento deste porte pode oferecer”, destaca Karine Pansa.

Conheça as editoras do estande do Brazilian Publishers (CBL/Apex-Brasil) que irão à Feira de Bolonha 2014: Editora Autores Associados, Editora Ática, Bamboo Editorial, Brinque-Book, Callis Editora, Companhia das Letras, Companhia Editora Nacional Cortez, Cosac Naify, Editora Cuca Fresca, Dash Editora, Editora Dedo de Prosa, Duna Dueto Editora, DSOP, Edições Escala Educacional/Editora Lafonte, Editora Elementar, Fama, FTD, Girassol, Globo Livros, Hub Editorial, Jujuba Editora, Ledur Serviços Editoriais, Mar de Ideias, Mauricio de Sousa, Editora Melhoramentos, Editora Napoleão, Pallas, Panda Books, Editora Peirópolis, Editora Positivo, RHJ Livros, Editora Rideel, Editora Scipione, Edições SM, Solisluna, Todolivro, Editora Viajante do Tempo e Zada Editora.

Editoras em contagem regressiva

As editoras que irão a Bolonha pelo projeto Brazilian Publishers esperam realizar um volume de negócios nos próximos 12 meses ( a partir da feira), de US$ 330 mil, em vendas de direitos autorais e de livros físicos. Este número representa um crescimento de 18,5% nos negócios, se comparados ao ano anterior, cujo valor foi de US$ 273 mil.

E, para alcançar esses objetivos, uma série de medidas estão sendo tomadas. Uma delas, é a produção do catálogo das obras disponíveis para comercialização de direitos autorais. A publicação, que terá versões impressa e digital, será entregue aos potenciais compradores na feira. Além disso, o BP já tem feito contatos para a organização de mesas de debates, cujo objetivo é apresentar ao mercado internacional autores e ilustradores brasileiros. Diversas reuniões de prospecção também estão sendo agendadas pela equipe do BP.

A Editora Melhoramentos é a mais antiga participante brasileira da feira de Bolonha. Neste ano, irá comercializar direitos autorais de cerca de 40 títulos, entre eles, Flicts, Benjamin, Poemas com Desenhos e Música, O Meu Pé de Laranja Lima, Sonhos em Amarelo, O Menino Quadradinho e Dima, o Passarinho que Criou o Mundo. Mas a grande expectativa da editora será o lançamento, em Bolonha, do livro Sonhos em Amarelo, de Luiz Antonio Aguiar, pela editora italiana Giunti. “Esta feira é uma das principais fontes para negociarmos direitos autorais, observar as tendências do mercado global e conhecer novos autores e ilustradores”, destaca Claudia Morales, diretora editorial da Melhoramentos. “E para este trabalho também contamos com o BP, que tem contribuído sobremaneira na infraestrutura de apoio às empresas que já atuavam no exterior, bem como na capacitação daquelas que não possuem esta experiência”, destaca.

Este é o caso da Editora Dedo de Prosa que irá participar, pela primeira vez, da Feira de Bolonha. “Inauguramos nossa participação em feiras internacionais no ano passado, em Frankfurt, para conhecer o mercado externo”, diz Sílvia Dinucci Fernandes, da Coordenação Editorial e Direitos Estrangeiros. Ela conta que a Dedo de Prosa não estaria presente nas feiras sem o apoio do BP. “Nossa editora é recente e ainda muito pequena. Temos 11 títulos publicados e esta é uma oportunidade única de expor nossas obras, conhecer novos profissionais, além de estarmos ao lado de grandes editoras brasileiras”, observa Sílvia Fernandes.

Também estreante em Bolonha, a Editora Napoleão decidiu estar presente na feira da Itália para conhecer melhor o mercado de livros infantis. O objetivo é tanto vender quanto comprar direitos autorais. A Ledur Serviços Editoriais também participa pela primeira vez desta feira e, segundo Rudimar Bernardes, gestor Comercial e de Marketing, a expectativa é conhecer o mercado internacional e apresentar títulos da editora, como o Dicionário Psicológico para Crianças, a Aventura dos Bichos, A Viagem dos Bichos e a A Tabuada na Ponta dos Dedos.

Pela primeira vez em Bolonha, a Editora Peirópolis decidiu participar da Feira por conta da homenagem ao Brasil. A maior parte do catálogo da editora estará disponível para a venda de direitos autorais.

Sergio Alves, gerente editorial de Literatura Infantil e Juvenil e Paradidáticos da Editora Lafonte, diz que a editora tem olhado o mercado internacional com muito cuidado e interesse. Estamos investindo agora para colher resultados consistentes no futuro”, diz o gerente sobre sua expectativa com Feira de Bolonha.

A Mauricio de Sousa Editora também optou, este ano, por integrar o estande coletivo do BP na Feira de Bolonha. Tradicionalmente, ela participava com estande próprio, mas desta vez quer estar junto com outras editoras para reforçar a imagem do país, que é o homenageado do evento. A Mauricio de Sousa Editora, que no ano passado vendeu dois milhões de exemplares e dobrou o faturamento, está bastante otimista com o mercado. Na Feira de Bolonha quer divulgar e comercializar direitos autorais da Turma da Mônica, além de vários outros títulos.

Outra editora que quer aproveitar a homenagem ao país é a Panda Books. “O catálogo que vamos levar tem 96 obras, entre literatura infantil e juvenil. Como o Brasil é o convidado de honra, acredito que haverá mais interesse das editoras estrangeiras em nossa produção”, avalia a sócia-diretora Tatiana Fulas.

Para a Editora SM, o mercado de livros está bastante aquecido e a literatura infantojuvenil vem sendo valorizada, novas casas editoriais estão surgindo e o mercado internacional está de olho no Brasil como um grande nicho de oportunidades neste segmento. “Esta é uma excelente oportunidade de apresentarmos o catálogo de autores brasileiros para potenciais negociações de direitos autorais”, diz otimista Mariana Zanácoli, da área de Marketing e Eventos. Segundo ela, a SM está muito satisfeita com o trabalho que o BP vem desenvolvendo, dando todo o apoio logístico e operacional. “Vamos levar para Bolonha mais de 100 títulos com os nossos recentes lançamentos de autores brasileiros”, conta. As editoras Ática e Scipione também direcionarão seu foco de atuação ao licenciamento de direitos autorais para publicação no exterior. A FTD irá apresentar na Feira de Bolonha 37 obras de seu novo catálogo internacional. Entre elas, está o livro infantil A ilha do Crocodilo, terceiro colocado em sua categoria no Prêmio Jabuti 2013. Associada ao projeto Brazilian Publishers há cinco anos, a editora estará presente no estando coletivo do BP. “Nesses anos, temos acompanhado a contribuição do projeto no reconhecimento e profissionalização de venda e prospecção de negócios”, avalia Tassia R. S. Oliveira, da área de Projetos Especiais e Literatura.

Grandes são as expectativas da Editora Cuca Fresca com a Feira de Bolonha. Segundo Marta Astroarte, gerente de Direitos Estrangeiros, as publicações brasileiras estão no centro das atenções de agentes, editores e distribuidores estrangeiros. Entre as obras que a editora levará à feira, estão Animais de Nossa Terra, Brincar de Verdade, Maricota e Cocota, Casa de Vó é Gostoso que Só e Futebol de A a Z – para ler e jogar.

A Companhia Editora Nacional gostou muito da experiência de participar do estande coletivo do BP na Feira de Frankfurt do ano passado e, agora na feira de Bolonha, irá repetir a experiência. “Foi muito gratificante ver nossos livros expostos, os contatos que fizemos foram muito bons e o trabalho da CBL foi excepcional. A oportunidade de poder participar das feiras internacionais é excelente e estar no estande coletivo, juntamente com outras editoras, nos dá uma visibilidade ainda maior”, observa Silvia Tocci Masini, diretora Editorial Adjunta. De acordo com ela, as obras que estão sendo enviadas para a feira têm boas possibilidades de vendas de direitos autorais.

O trabalho de prospecção da Editora Viajante do Tempo está a todo o vapor. “Estamos em contato com várias editoras e esperamos boas negociações com empresas da América do Sul e da Ásia”, diz a editora Regina Gonçalves. “Há discussões em andamento, com boas possibilidades de venda para uma editora na China, de nossa série Caio Zip, o viajante do Tempo, informa. Já a expectativa da Brinque-Book Editora de Livros é divulgar a marca internacionalmente.

A Editora Positivo leva à Feira de Bolonha um catálogo bastante completo. Além de livros de literatura, a editora irá apresentar ao mercado internacional sua produção de didáticos, paradidáticos, dicionários e conteúdo digital.

A Companhia das Letras fez uma seleção de cerca de 20 títulos com apelo internacional para a Feira de Bolonha, entre obras lançadas recentemente e clássicos do catálogo. Segundo a editora, o segmento de livros infantis e juvenis vem ganhando maior destaque em todos os espaços, seja na mídia, mercado, escolas e governo.

A Cosac Naify participa todos os anos da Feira de Bolonha, tanto para vender quanto para adquirir diretos autorais. Este ano, a editora estará mais focada na venda de direitos autorais.

 

Voltar
OKN Group