Notícias

Marcos Marcionilo assume a curadoria da 63ª edição do Prêmio Jabuti

Marcos Marcionilo assume a curadoria da 63ª edição do Prêmio Jabuti

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) anuncia Marcos Marcionilo como o novo curador do Prêmio Jabuti. O editor e tradutor traz para o mais importante prêmio do livro brasileiro a experiência de uma trajetória de 42 anos no mercado editorial.

“Ao conhecer por dentro o Prêmio Jabuti em três edições consecutivas — 2018 a 2020 —, dou-me conta de seu lugar e peso nas várias esferas de nossa cultura. Sessentão já, o Jabuti vem se transformando em um instantâneo anual das questões que movem o Brasil”, comenta Marcionilo.

Para Vitor Tavares, presidente da CBL, o Prêmio Jabuti segue se renovando e buscando os melhores caminhos para valorizar a literatura brasileira. “O trabalho de Marcos Marcionilo à frente do Jabuti faz florescer todas as qualidades de um prêmio que abraça todos os aspectos da produção editorial do Brasil”, complementa.  O curador desta edição 2021 vem colaborando com o Prêmio Jabuti, primeiro como jurado [edição 2018], posteriormente, como membro do Conselho Curador [edições 2019 e 2020].

Marcos Marcionilo é graduado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Sua carreira no mercado editorial é marcada por diversas vertentes: escrita, edição, ensino de línguas, linguagem e linguística. Tem também larga experiência em tradução com cerca de 80 obras traduzidas do francês, do inglês, do italiano e do espanhol. Como “o mais antiacadêmico entre os editores acadêmicos”, como, bem-humorado, costuma se definir, seu trabalho tem sido o de introduzir os avanços das ciências da linguagem no ensino de língua materna no Brasil. As obras por ele editadas têm fomentado novas inflexões na formação de professores e de pesquisadores no campo das linguagens e da literatura, especialmente com as traduções de clássicos da linguística até agora inéditos em português. Essas mesmas posições de abertura à centralidade da linguagem na constituição do humano e do social são as que ele transmite em seus cursos livres de formação de profissionais para o mercado editorial.

O novo curador já definiu o grupo de conselheiros que trabalhará na 63ª edição do Prêmio. Confira abaixo as informações sobre cada integrante. Em breve, será divulgado o calendário das inscrições e da premiação.

 

Ana Elisa Ribeiro

É professora titular do Departamento de Linguagem e Tecnologia do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, onde atua na formação em Letras (graduação e pós-graduação) e no ensino médio. É doutora em estudos linguísticos pela UFMG, pesquisadora da leitura, da escrita e da edição. Coordena investigações científicas sobre tecnologias na educação e sobre as mulheres no campo editorial. É autora de livros de crônica, conto, poesia, infantojuvenis e técnicos, por diversas editoras brasileiras. Participou de antologias e festivais literários em vários países, editou projetos especiais de literatura contemporânea e tem colunas fixas no Digestivo Cultural, no jornal Rascunho e na Revista Pessoa. É mineira de Belo Horizonte.

 

Bel Santos Mayer

É educadora social, mestranda do Programa de Pós-graduação em Turismo da Escola de Artes, Cultura e Humanidades da USP (PPGTUR/EACH/USP), bacharel em Turismo, licenciada em Ciências Matemáticas, tem especialização em Pedagogia Social. Desde os anos 1980 atua em organizações não governamentais facilitando processos de criação de Centros de Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes (CEDECAs) e de bibliotecas comunitárias gerenciadas por jovens. Foi uma das criadoras e coordenadoras do Prêmio Educar para a Igualdade Racial do CEERT. É empreendedora social da Ashoka, docente de “Mediação de Leitura” na pós-graduação Literatura para Crianças e Jovens do Instituto Vera Cruz e coordenadora do Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC). É co-gestora da Rede LiteraSampa, finalista do Prêmio Jabuti 2019. Foi curadora da 11ª Edição do Prêmio São Paulo de Literatura. Prêmios recebidos: Retratos da Leitura no Brasil-2018; Estado de São Paulo para as Artes-2019; 67° Prêmio APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes na categoria “Difusão de Literatura Brasileira”.

Camile Mendrot

É editora formada em Produção Editorial pela Universidade Anhembi Morumbi, e, desde a graduação, dedicou-se aos estudos de literatura infantil e juvenil. Especializou-se em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP, direcionando a pós-graduação para o mesmo universo. Cursou o Máster em Edição de Livros na Universidad Complutense de Madrid e Universidad Internacional Menéndez Pelayo (Espanha), com bolsa da Fundación Carolina e do SIALE (Sociedad Iberoamerica de Amigos del Libro y la Edición). Mais tarde, fez mestrado em Livros e Literatura para Crianças e Jovens pela Universidade Autônoma de Barcelona. Ao longo de seus 21 anos de atividade, atuou como editora em grandes e expressivas casas editoriais brasileiras e como palestrante e professora em universidades. Há 11 anos tem seu próprio estúdio de produção editorial, o Ab Aeterno, e por meio dele desenvolve projetos e serviços editoriais a diversas editoras e empresas nacionais e internacionais.

Luiz Gonzaga Godoi Trigo

É professor titular da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo. Graduado em filosofia e em turismo pela PUC-Campinas, doutor em educação (Unicamp) e livre-docente em lazer e turismo pela ECA-USP. Autor de 22 livros e 42 artigos sobre cultura, entretenimento, viagens e educação. Foi diretor de turismo e assessor da Prefeitura de Campinas (1989-1991), professor da PUC-Campinas (1988-2007), membro da Comissão de Especialistas em Administração e em Turismo do Ministério de Educação (1996-2004) e diretor de turismo e hotelaria/assessor do Senac São Paulo (1995-2004). Desde 2005 é professor em programas de graduação e pós-graduação na EACH-USP. Participou de bancas, eventos e congressos, no Brasil e no exterior.

 

 

 

Voltar
OKN Group